Propaganda equivocada infantiliza pessoas idosas!

 

 

Não existe ‘creche’ para idosos. Creche é para crianças pequenas. 

O nome a que se refere a espaço para idosos é Centro Dia!

 

Absurdo e lamentável o que está ocorrendo no Brasil, especialmente em São Paulo que abriga uma das maiores concentrações de pessoas idosas (acima de 60 anos de idade) no país. 

Nada contra empresas e empreendedores que investem no mercado da longevidade. Com certeza, um segmento muito promissor e sedento por iniciativas adequadas que atendam as necessidades do público idoso, que mais cresce no país.

É fundamental, contudo, que possamos ajudar a construir uma cultura de longevidade que respeite o cidadão que envelhece, mantendo dignidade com a sua biografia e trajetória de vida.

Temos pessoas com mais de 60 anos que representam a excelência na música, na cultura, na medicina, no direito, na arquitetura, enfim, em todas as áreas. 

Certamente, Chico Buarque ou Fernanda Montenegro não gostariam, imagino, de serem infantilizados. Meus pais também não. Nem eu quando for idosa.

Usar linguagem com excesso de diminutivos para conversar com pessoas experientes – vovozinha, queridinha, fofinha, vovozinho e afins – não significa comportamento carinhoso. Na maioria das vezes representa uma forma velada de menos valia.

Bem como dizer que o idoso volta a ser criança. A intenção de alguns pode até ser de carinho ou proteção, mas acaba por imprimir um tom pejorativo. E sempre equivocado.

E comportamentos inadequados acabam por gerar mais inadequações, que prejudicam a consolidação de um novo olhar sobre a longevidade. 

Estou falando, por exemplo, sobre empresários que anunciam seus negócios utilizando, na propaganda, uma das piores analogias: usam o termo CRECHE, que tradicionalmente é lugar para abrigar crianças pequenas, para divulgar o espaço que destinam a pessoas idosas.

Creche não é para idosos!!! #idosonãoécriança!

A pessoa, com mais de 60 anos, classificada como idosa, tem uma vida de histórias e de contribuições. Jamais voltará a ser criança. Pode até passar a ter comportamentos que se confundam com a infância ao necessitar de cuidados básicos, porém, é mais proveitoso tentarmos descobrir a criança que o idoso foi, o jovem que ele foi… para, quem sabe, resgatarmos lembranças e saudades que possam lhe ajudar a enternecer a alma. 

Portanto, se aos 60…. 80…. ou mais anos, o indivíduo passa a ter dificuldades físicas ou cognitivas pode, por diversas razões, necessitar de um CENTRO DIA! Nunca de uma creche!

Centro Dia caracteriza-se como um espaço destinado a proporcionar acolhimento, proteção e convivência a idosos semi-dependentes, cujas famílias não tenham condições de prover estes cuidados durante todo o dia ou parte dele.

Não existe creche para idosos. Existe Centro Dia para idosos. Existe Centro de Convivência para idosos. E cada espaço tem uma legislação específica.

É aconselhável que toda pessoa que pretende lidar com o universo da longevidade busque informação e formação adequadas para fazer parte deste segmento e ajudar a construir uma cultura respeitosa e digna da longevidade no Brasil.

 

*Lina Menezes

Faz Muito Bem Longevidade, Saúde e Cidadania

linamenezes@fazmuitobem.com 

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão