O rio e a guerra

 

Por Geraldo Espíndola

Meu querido amigo:

gostei muito do seu livro

Um Rio, Uma Guerra.

Quanta memória!

Levou-me ao Forte Coimbra,

à guerra na nossa terra, e que agora faz 150 anos.

Lembrei-me do Marçal de Souza, AMERÍNDIA, lembra?

Meu coração tem uma sombra

entristecida pela grande Nação Indígena,

Nação Indígena massacrada e espoliada.

Sem a presença deles, os índios,

nem água de rios teríamos para beber.

Parabéns pelo seu trabalho, guerreiro poeta do meu tempo.

Seus livros estão na minha cabeceira a me emocionar.

E o velho rio que passa em sua cidade natal,

a Corumbá que eu tanto amo, a me inspirar.

Saudações pantaneiras.

 

foto: JD1 notícias

 

Geraldo Espíndola é cantor, autor de “Vida Cigana”,

entre outros inúmeros sucessos da MPB.

 

 

 

 

 

O livro do escritor e poeta Luiz TaquesUm RioUma Guerra’ (Kan Editora, 112 páginas) nas livrarias.

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão