Morre um mestre: Adib Jatene

 

090805_adibEle revolucionou a cirurgia do coração no Brasil, revitalizou o programa nacional de Aids no país, foi ministro da saúde, profissional competente, mestre de muitos, cidadão valoroso.

Tive o privilégio de entrevistá-lo em diversas oportunidades, prestar-lhe homenagem, acompanhar atenta suas inovações.

 

 

Há cerca de 5 anos, conversamos em sua sala no Hospital do Coração. Ele me concedeu meia hora de seu precioso tempo, atendendo minha solicitação de agenda. Tinha-lhe pedido pra conversar um pouco com ele sobre um livro que eu amadurecia na alma para escrever: como lidar com a morte. E queria saber dele, um mestre, que lidava justamente com o órgão máximo que representa a vida (e a morte, ao cessar dos batimentos), o que pensava, o que sentia, porque a escolha de lidar com esse binômio vida-morte.

Foi uma conversa das boas! Bebi seus ensinamentos por duas horas e meia. Não vimos o tempo passar.

O livro, ainda amadureço na alma…

Do dr Adib Jatene, ouvi: “No Acre vi meu pai morrer. Na época, sem recursos de saúde e medicina adequados. Eu me prometi, naquele momento, que ia ser médico…”

 

E o foi. Um dos mais brilhantes e diferenciados médicos desse país! Um homem bom, que salvou vidas, ensinou e inspirou outros tantos a ‘Ser Médico’ e a nunca deixar de ser um ‘Humanista’!

Triste por sua partida, feliz por seu legado. Jamais o esqueceremos, caríssimo doutor Adib Jatene!

 

* Ele morreu na noite de sexta-feira, 14 novembro, de infarto agudo do miocárdio.

 

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão