MERS-CoV: coronavirus

Ninguém ainda sabe muito sobre este novo coronavírus (conhecido como MERS-CoV) que causa a chamada Síndrome Respiratória do Oriente Médio.

O que a OMS (Organização Mundial da Saúde) está fazendo é monitorar os casos, orientar alguns procedimentos iniciais, reforçar a importância da notificação e procurar informar novos dados na medida em que os especialistas vão observando, estudando e descobrindo…

O que é?

O Coronavírus descoberto é um novo tipo que ainda não tinha sido observado nos seres humanos. Os coronavírus podem causar doenças que variam em gravidade, desde o resfriado comum até uma Síndrome Respiratória Aguda Grave. Apesar de manter até agora um número limitado no total de casos tem alta letalidade: cerca de 50% a 60% dos pacientes morrem pela doença.

 

Onde ocorre?

Os primeiros casos documentados de MERS-CoV foram na Jordânia (2012). Hoje este coronavírus já atravessou fronteiras. São vários os exemplos onde o vírus passou de um país para outro por meio de viajantes. Locais que já registraram casos: Arábia Saudita, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Tunísia, Norte da África, Irlanda do Norte, França, Grã-Bretanha, Alemanha e Itália.

 

Forma de contágio.

A OMS reconhece a transmissão entre seres humanos. Há casos esporádicos registrados em comunidades; há casos entre famílias; e por aglomerados de infecções em serviços de saúde. Mas não se sabe ainda quais os mecanismos de transmissão: se respiratórias (por tosse ou espirros) ou por contato (contaminação do ambiente pelo paciente).

 

Sintomas.

Os sintomas mais comuns até agora são: doença respiratória aguda grave, com febre, tosse, falta de ar e dificuldade respiratória. Há casos que apresentaram também sintomas gastrointestinais, incluindo diarreia. Alguns pacientes tiveram insuficiência renal.

 

Diagnóstico.

O diagnóstico de MERS-CoV é muito importante. O profissional deve estar atento a casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave e analisar principalmente casos incomuns dessa SRAG e de quadros de pneumonia. Há exames laboratoriais para investigar o vírus (recomenda-se utilizar amostra de secreção respiratória que depois de colhida, no país, pode ser encaminhada ao LACEN – laboratório de referência nacional que pode realizar o diagnóstico viral).

 

 Existe vacina?

Não há vacina disponível contra este novo coronavírus até agora.

 

Tratamento.

Não há tratamento específico para a doença causada por MERS-CoV. O tratamento deve ser com base nos sintomas do paciente, ou seja, de suporte.

 

Cuidados.

Podemos adotar algumas medidas de cautela. Não significa que estaremos protegidos totalmente contra este novo vírus, pois os especialistas ainda conhecem muito pouco sobre o mesmo. Contudo, podemos tomar cuidado para evitar doenças respiratórias: evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas de doença, como tosse e espirros, evitar ambientes fechados com muita gente, higienizar sempre as mãos, evitar carnes cruas e alimentos mal cozidos ou mal lavados etc.

 

Notificar.

É fundamental que diante de casos suspeitos, o profissional/instituição notifique imediatamente à secretaria de saúde do município, estado ou diretamente ao Ministério da Saúde.

 

Alguns meios para notificação: 

Telefone: 0800-644-6645

E-mail: notifica@saude.gov.br

Site: www.saude.gov.br/svs – “Formulário de Notificação de SARS”

De quando em quando surge um novo tipo de coronavírus. Alguns devem ainda se lembrar da SARS, entre 2002 e 2003, quando um surto dessa Síndrome Respiratória Aguda Grave afetou 8 mil pessoas e causou 800 mortes.

 

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão