Iucanas Toriba: ensaio sensual

 

Vinte casais entre 55 e 85 anos aceitam o desafio e posam para o fotógrafo Chico Batata. O resultado das fotos que flagram intimidades, em diversas locações amazonenses, vira a exposição Iucanas Toriba. Além de Manaus, deve ser vista em muitas mais cidades.

 Veja a galeria de fotos.

 

Impressões do fotógrafo Chico Batata.chico batata2

Como nasceu a idéia dessa exposição?

Ano passado, aceitei um convite que me deixou surpreso, para realizar um ensaio com mulheres de terceira idade em poses sensuais. Foi um grande desafio porque nunca tinha feito nada desse tipo e tratar com mulheres idosas exige um grau de responsabilidade dobrado. Mas, o resultado foi excelente! E Tamoios Porangas, que significa em tupi-guarani velhas bonitas, me motivou a desenvolver Iucanas Toriba, novamente em parceria com o Centro Estadual de Convivência do Idoso. A ideia dessa vez foi desmistificar que os idosos não possuem vida sexual ativa. O casal de idosos, na maioria das vezes, é visto de forma recatada e resolvi mostrar o outro lado, a intimidade de maneira sutil, mas que demonstrasse paixão, sensualidade e jovialidade. Daí surgiu a Iucanas Toriba, que significa, em tupi-guarani Laços de Felicidade.

 

Enfrentou alguma dificuldade para conseguir personagens para posar para as fotos?

Trabalhei dessa vez com 20 casais. Todos frequentam o Centro  Estadual de Convivência do Idoso. São de lá também as senhoras que fotografei para a Tamoios Poranga. Então, como boa parte deles se conhecem e já tinham referências do ensaio anterior ficou mais fácil. Não encontrei resistência. Pelo contrário, cerca de 100 casais queriam ter participado. Então, tive que fazer a seleção por meio de um questionário aplicado por uma psicóloga para traçar o perfil de cada casal, incluindo, como alguns dos critérios, ter laço matrimonial por muitos anos e vida sexual ativa, assim cheguei aos casais fotografados. De acordo com o que foi respondido por eles, eu já tinha em mente cada ambiente para onde os levei para fazer as fotos e mostrar toda a sua felicidade.

 

Qual o impacto até agora com essa exposição?

Foi super positivo. Quebrei tabus, mais uma vez. Preconceitos precisam ser desfeitos. Devemos valorizar e respeitar quem já chegou a esta etapa da vida. Pois, nós, mais jovens, não sabemos se teremos o privilégio de atingir a idade dessas pessoas. Tanto os casais quanto eu recebemos várias palavras de carinho e apoio como forma de reconhecimento desse trabalho. Mas, o mais gratificante disso é ver a auto-estima desses casais e como eles sabem aproveitar a vida.

 

Como você encara o envelhecimento?

Com naturalidade, como eu disse anteriormente, é um privilégio alguém chegar a essa fase da vida. Ainda mais com saúde e jovialidade.

 

O que aprendeu ao clicar as fotos para esta exposição?

Com cada casal tirei lições de vida. Cumplicidade, respeito, companheirismo, fidelidade – que é algo muito difícil nos dias de hoje, entre os casais mais jovens -, são alguns valores explícitos em todos eles. Gestos e atitudes que nem o tempo e nem a modernidade apagaram. Histórias de vida envolvendo alegrias e tristezas, mas, acima de tudo, superação e muito amor.

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão