Envelhecimento x Deficiência

Ao fazer sacolão fim de tarde hoje

(gosto de tudo quanto é fruta!)

deparei-me com um episódio curioso

que me leva, de novo, a pensar sobre o envelhecer

e seu significado.

 

Estava escolhendo maçãs

quando uma mulher (lá pelos seus 60 e poucos anos)

– cabelo em coque, calça jeans e tênis branco – muito linda e fashion -,

falava gesticulando muito,

como a relatar a quem quisesse ouvir…

 

Dizia em tom inconformado que

havia explicado ao rapaz insistente,

que ela não precisava parar o carro

na vaga para ‘Deficientes’, pois

não tinha deficiência alguma!

 

Isso é um problema no Brasil.

As mesmas vagas especiais

são destinadas a deficientes,

idosos e grávidas.

E como o destaque é para ‘Deficiente’,

as pessoas com mais de 60 anos

acabam por ser confundidas na mesma condição.

 

O desenho de uma pessoa amparada

numa bengala ou muleta

para caracterizar a pessoa idosa

é outro absurdo!

 

Caramba! Até quando não haverá respeito

com esse grupo etário?

 

O envelhecimento humano

é um processo natural e biológico.

Não é uma deficiência.

 

Podemos adoecer, sofrer acidentes,

e adquirir deficiências.

 

Mas, a maioria das pessoas

com mais de 60 anos está inteira e saudável.

Andam, correm, trabalham, viajam, namoram

e são fundamentais na sociedade.

 

Ganhar rugas – significa estar vivo,

sobreviver às intempéries, às violências, aos desafios

que são imensos.

 

Colecionar aniversários – significa

acúmulo de experiências (boas e más),

o que pode nos permitir decidir

com mais segurança o que não queremos

e o que desejamos pra vida da gente!

 

Claro que com o tempo podemos adquirir limitações.

Ok, elas são naturais no processo de envelhecimento.

Nosso corpo é uma máquina e sofre desgastes!

Ainda não inventaram um elixir da juventude eterna!

Nem sabemos ainda tudo o que as células-tronco

vão nos possibilitar no futuro!

 

Mas, por ora, por gentileza, chega de confusões e de mentiras:

envelhecer não significa definhar, ficar dependente, ser deficiente, tornar-se inútil.

 

Já somos mais de 20% da população

– gente com mais de 50 anos.

E a cada ano nos tornamos mais fortes

e mais numerosos.

Em 2060 chegaremos a 50%!

 

Boralá aprender a conviver melhor

entre as idades

a reconhecer o poder de ser

de movimentar o mercado

de consolidar direitos e conquistas

com os meus, os seus, os nossos cabelos grisalhos

(sejam eles assumidos ou cobertos por tintura cada mais mais eficaz! rs).

 

  • linamenezes 16jan17

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão