Sair sozinha!

 

Não é toda mulher que, sozinha, se sente à vontade entrando num restaurante para almoçar ou jantar e pedir: “Por favor, mesa para uma”!

Entretanto é cada dia mais comum mulheres solteiras ou divorciadas. E antenadas: querem ir ao teatro ver Fernanda Montenegro encenando Simone du Beauvoir (um espetáculo!!), ir ao cinema ver a mostra imperdível (no cinema muitas dizem que é mais fácil porque não há aquelas olhadinhas tortas) ou ir a um bar para se divertir um pouco.

Para muitas o desafio é maior logo no início da separação. Estavam tão acostumadas a fazer tudo a dois que muitas vezes sentem que desaprenderam como viver sozinha e aproveitarem a vida.

Isso, sem dúvida, requer um tempo.

É um processo. E pode ser muito recompensador: descobrir-se novamente, de um jeito diferente, mais maduro, mais intenso. E sentir prazer ao fazer o que gosta, no momento em que lhe é adequado, sem precisar negociar com o companheiro. Afinal, viver a dois é um exercício que implica também em concessões. Não é?!

 

Para a especialista em etiqueta Claudia Matarazzo, a mulher pode e deve aprender a sair sozinha.

 

claudia matarazzo

 

 

“Claro que pode! Primeiro, a mulher que sai sozinha é porque já não se acha uma coitada. Já é uma pessoa que rompeu essa barreira. 

Nem sempre a amiga está disponível na hora que queremos. E também não adianta querer só sair com o melhor amigo gay depois da separação. Só indo sozinha para dar abertura inclusive para conhecer novas pessoas!

Apruma os ombros, respira, e vai!”

 

 

 

 

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão