Celso de Freitas: amor com a profissão

 

Celso de Freitas aos 59 anos de idade tem 42 anos dedicados à profissão. É um colecionador de histórias e de amigos. Como o próprio se define “é um velho jornalista que ama o jornal, que ama o rádio, que ama ensinar radiojornalismo, que ama lidar com notícia o dia inteiro, que vai morrer de entusiasmo”.

 

Hoje na Universidade São Judas Tadeu em São Paulo, deixou saudades por onde passou: Agência Rádio 2 de notícias, rádio Capital, Universidade Braz Cubas, Sistema Globo de Rádio…

 

Vou deixar o próprio contar um pouco de sua história…

(compartilho aqui, com vocês, a emoção de uma trajetória de superação e sucesso)

 

10268580_10152132927842321_8721108757578458279_n-1Com vocês, Celso de Freitas: 

 

Há 42 anos, mais ou menos neste horário, eu desembarcava de um trem, na estação da Luz, carregando uma enorme mala, daquelas antigas, com um punhado de roupas velhas e uma esperança na cabeça: arrumar um emprego para sustentar a mim, minha mãe e três irmãos pequenos, que ficaram na minúscula Orindiúva de então.

Roubei um pedaço do exíguo espaço da casa da tia Iolanda Ventola e dos primos Gilson Ventola, Vânia Ballardie e Gildete Vieira Ventola Bravin, a quem sou muito grato por tudo que conquistei. Pena que o tio Nelson Ventola não esteja aqui, mas devo muito a ele também, por ter me acolhido, numa época de enormes dificuldades para ganhar a vida.

Pois é, lá se vão 42 anos de Sampa. Muita luta, decepções, sofrimento, saudade, tropeços. Mas também muitas oportunidades, amizades que perduram até hoje, conquistas e realizações. O balanço é altamente positivo, em todos os sentidos. Obrigado São Paulo, a cidade onde sempre cabem muitos mais.

Sempre que ouço o banido, no fim da vida, e que agora voltou à moda, Tim Maia, cantar O Dia de Santo Reis, lembro dessa minha epopeia. Canta aí Tim, porque hoje é o Dia de Santo Reis.

 

 

* Mais sobre Celso de Freitas, acesse: http://celso-freitas.blogspot.com/

 

 

 

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão