Caxumba: pode dar em adulto?!

 

Sim. E de vez em quando ocorrem surtos da doença, como é o caso de São Paulo neste novembro. Eu, inclusive, acabei contraindo caxumba (pois nunca havia tido e quando criança não havia vacina).

É uma doença viral aguda.

Sintomas:

images-2
  • inchaço e dor das glândulas parótidas – glândulas salivares (um ou dos dois lados)
  • febre
  • fadiga
  • dificuldade para mastigar e engolir
  • falta de apetite etc

Complicações são raras. Recomenda-se, portanto, repouso e evitar carregar peso para prevenir complicações nos testículos, pâncreas, ovários, cérebro e até perda de audição.

A transmissão se dá por saliva infectada, portanto, evitar beijo, conversa de muito perto, espirrar ou tossir em ambiente fechado com gente. O ideal é permanecer em casa no período que vai de 6  dias antes a até 9 dias após o surgimento dos sintomas.

O período de incubação do vírus varia entre 14 a 25 dias. E o ser humano é o único hospedeiro, ou seja, caxumba não é transmitida por animais ou plantas.

O diagnóstico é essencialmente clínico mas o médico pode pedir alguns exames de sangue para confirmar.

O tratamento é administrado apenas para aliviar os sintomas. Não há um remédio específico para tratar caxumba.

A medida mais eficaz contra a doença é a prevenção que podemos fazer por meio de vacinação.

Segundo o Programa Nacional de Imunizações (PIN):

  • vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses, com reforço aos 15 meses incluindo também a vacina contra varicela (tetra viral na rede pública)
  • adultos (que não tomaram vacina quando crianças e nunca tiveram caxumba) também devem tomar a vacina contra a doença.

 

Assista:


Mais informações, acesse:

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/626-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/caxumba/11186-descricao-da-doenca

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão