A arte de (re)contar a própria história

 

‘Você é o autor e narrador’, enfatiza Tatiana Piccardi. ‘Só a gente escreve e vive a própria história’, complementa.

Em uma hora e meia de palestra, na qual você vai sendo motivado a pensar e refletir, acrescentando seus ingredientes, sobre sua trajetória, ocorre uma ebulição de sentimentos. Aconteceu comigo e com a platéia presente ao evento, na terça, 15, no Instituto Cervantes na avenida Paulista.

Uma revisão profissional e pessoal vai se processando conforme a palestra evolui e a ‘lição’ (se pudéssemos depreender dessa forma) que tiramos dali é o quanto pode ser necessário e eficaz (na busca de equilíbrio e felicidade) contar (recontar ou contar de outro jeito), reescrever a própria história.

IMG_1794‘Tomar a palavra e dar sentido ao vivido pode significar o começo de uma nova história, mais feliz e produtiva’, reforça a palestrante.

O movimento de reescrita pode se iniciar hoje, amanhã, depois… Cada qual tem um ou mais momentos em que rever e retraçar metas e/ou desejos faz-se necessário.

A palestra objetiva motivar as pessoas a realizarem seus empreendimentos de vida (pessoais e profissionais) por meio da percepção de que podemos criar oportunidades para nós mesmos, revisando nossos recursos e desenvolvendo recursos internos para alterar rumos.

 

Coragem

No início da apresentação ela compartilhou um vídeo de um coral que surpreende a platéia. São pessoas que perderam as cordas vocais por causa do câncer e que superaram a doença, se engajam em campanhas educativas e (re)contam suas histórias.

E caminhando para o desfecho do evento, Tatiana pinça, na coragem, uma confissão íntima que a fez deparar-se com uma das encruzilhadas (aqueles momentos em que podemos deprimir e cair – ou aprender e com um novo olhar dar um passo novo para o futuro).

Corajosa, ela mostra a foto com a filha, aos 4 anos de idade, e que, infelizmente, morreu de câncer. Hoje, diz Tatiana, ela teria 17 anos. Reconhece o impacto e a dificuldade que ela e a família enfrentaram para lidar com a perda.

‘Até que aprendi a ver Helena (a filha) como um anjo da guarda, que tive o privilégio de conhecer pessoalmente. Eu sou outra pessoa: antes e depois de Helena’, nos conta.

IMG_1776

Thaysa Andujas e Roseli Moraes que trabalham com a palestrante Tatiana Piccardi e eu, Lina Menezes (feliz por ter participado do evento)

Ao final da palestra ela abriu um espaço para comentários. Depois de segundos de silêncio, quebrei o emudecer e compartilhei uma história. Em seguida, outros o fizeram. Emprego novo, desemprego inesperado, doença, perda… havia de tudo um pouco numa plateia heterogênea e atenta.

 

O futuro

Saímos todos pensando no futuro que, segundo Tatiana, é nebuloso. Sempre. E isso não é ruim. É natural. Pois como um escritor que inicia um livro e quando o acaba na maioria das vezes nunca termina exatamente da mesma maneira que planejou ao escrever a primeira linha… nossa trajetória de vida está sempre apta a mudanças.

 

Eu, confesso…

 … depois dessa palestra e de outros fatos que surpreenderam a semana tentarei estar + atenta e + disposta a:

  • Ser responsável pela história que vivo
  • Ser autora da minha história
  • Lidar melhor com as adversidades que não posso controlar
  • Interagir melhor com os personagens (família, amigos, colegas de trabalho…) do meu dia-a-dia
  • Alinhavar melhor minha história com as histórias que cruzam com a minha
  • Buscar fazer a minha parte para garantir um ‘final feliz’
  • E refletir sempre sobre, afinal, o que é um ‘final feliz’!

 Lembrar que nós não somos um ser de sentido, mas um ser de desejo.

 E que, assim sendo, podemos, o tempo todo e sempre que necessário, mudar e (re)contar a nossa própria história!

 

 

A palestrante Tatiana Piccardi: IMG_1796

 

É cofundadora e atual presidente voluntária da AHPAS – Associação Helena Piccardi de Andrade Silva – instituição sem fins lucrativos dedicada à prestação de serviços gratuitos a crianças e adolescentes em tratamento de câncer e seus cuidadores. Acesse www.ahpas.org.br.

Profissionalmente, como doutora em Letras, Tatiana dedica-se ao ensino e à pesquisa em nível superior na área de estudos da linguagem. Sua pesquisa está especialmente focada nas relações entre linguagem, saúde e trabalho.

Contato para palestras: tpiccardi@gmail.com

 

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão