Ao visitar um grupo de jovens na zona norte da capital paulista fiquei impressionada com o talento e o conhecimento. Eles faziam um tipo de rap improvisado com o tema que, neste dia, 1o de dezembro, se destaca nas mídias e nas ruas: o combate à Aids.

‘Aids é um problemão que tem prevenção’ era o refrão repetido e dançado por jovens entre 13 e 20 anos.

Problemão mesmo entre jovens de 15 a 24 anos no levantamento do departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, que indica uma alta incidência e uma homogeneidade da infecção, nessa faixa, em todo o país.

Os jovens de hoje não viram seus ídolos morrerem pela doença. Nasceram numa época em que a Aids já não era mais sentença de morte. Daí – e também por uma falta lamentável de educação sexual na infância e na adolescência – o vírus HIV faz vítimas em todas as classes sociais.

O sexo desprotegido (de risco) é atitude, infelizmente, frequente entre jovens. E entre idosos. Os tais maiores de 50, 60 anos que retomam antigos e novos amores e aprendem a ‘ficar’ também parecem experimentar o tal pensamento mágico… que nada vai lhes acontecer de mal…

Acompanhei, nesta última semana, notícias nas mídias e redes que reforçam campanhas e comunicados neste período que cerca o 1o de dezembro!… E, diante dos avanços em tratamentos (pré e pós exposição de risco, e de controle) e estudos até sobre vacina preventiva, o uso aparentemente simples de um preservativo é ainda a forma mais eficaz de prevenção.

A-IMAGEM-DA-CAMISINHA-E-DO-SIMBOLO-DA-AIDSSexo seguro, em todas as idades, previne a Aids, as demais Doenças Sexualmente Transmissíveis, e uma gravidez não desejada. Na hora da emoção que atropela a razão, brinque! Morda, desenrole, beije, erotize, faça do seu jeito, mas use camisinha!

P.s.: Desta vez até a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), por meio da Pastoral de Aids, abre espaço nas paróquias e dioceses do país para testagem para o HIV. E lança campanha com o padre Fábio de Melo. O objetivo é incentivar o diagnóstico precoce e ajudar na meta 90-90-90 (90% de pessoas testadas, 90% tratadas e 90% com carga viral indetectável até 2020), estabelecida pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS. E faria bem acrescentar: 90% de prevenção!

Publique aqui um comentário, dúvida ou sugestão